Tag: Direitos sociais

É preciso falar de Marielle -Juliane Furno (Projeto Brasil Popular)

Para Juliane Furno, do Grupo de Trabalho de Juventude do Projeto Brasil Popular, um dos impactos políticos da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes, a 14 de março, recai diretamente sobre os jovens. “Abala a moral da tropa.” (Depoimento gravado durante o Fórum Social Mundial 2018, em Salvador, realizado entre os dias 13 a 17 de março)

Leia mais »

É preciso falar de Marielle – Sergio Gabrielli (UFBA)

“Uma execução política”, diz o economista Sergio Gabrielli, professor da UFBA e ex-presidente da Petrobras. Segundo ele, a execução de Marielle Franco, vereadora do PSOL-RJ, e do seu motorista Anderson Gomes, a 14 de março, visou o “aniquilamento de uma liderança popular e emergente”. (Depoimento gravado durante o Fórum Social Mundial 2018, em Salvador, realizado entre os dias 13 a 17 de março)

Leia mais »

Soberania em Debate – Violência e criminalidade no Brasil – o caso do Rio de Janeiro

O movimento SOS Brasil Soberano, apoiado pelo Senge-RJ e pela Fisenge, lança a segunda etapa do seu trabalho de mobilização, resistência e reflexão de temas nacionais, com uma roda de debates quinzenal, o Soberania em Debate. A primeira edição reunirá nesta terça-feira (26), às 14 horas, o professor da UFRJ, Paulo Baía, e o coronel do Exército, Ivan Fialho, para tratar da questão da violência no país, especialmente no Rio de Janeiro, que vive uma situação de guerra. Sem público presente, com duração aproximada de 1h45 min, o debate será transmitido pela internet, na página do SOS Brasil Soberano no Facebook, aberto a perguntas que cheguem por twitter, zap ou e-mails, além de reproduzido posteriormente em vídeo.

Leia mais »

Marcado na testa como gado

Em artigo no blog do jornalista Marcelo Auler, o psiquiatra e psicanalista Régis Eric Maia Barros analisa o recente episódio em que um jovem foi marcado na testa como gado. “Nos últimos dias, eu me lembrei de um querido professor o qual foi muito importante na minha formação em psiquiatria e psicoterapia. Ele, assim, afirmava: ‘nada que advém do ser humano pode ser considerado bizarro, pois tudo é possível’. Com essa reflexão, ele tentava provar que o ser humano é capaz de tudo. Ele estava certo. De fato, nada mais é capaz de me assustar. Nada mais me causa espanto, visto que, enquanto espécie, nós somos aptos a realizar os comportamentos mais dantescos. Inclusive, até mesmo, aqueles que nós julgamos impossíveis de realizarmos.”

Leia mais »