Heading Subheading

Salvador sedia II Simpósio SOS Brasil Soberano – Engenharia, tecnologia e aproveitamento de recursos naturais

O Senge-BA, a Fisenge e a Apub promovem no dia 27 de abril, das 9h às 18h, na Escola Politécnica da UFBA, o II Simpósio SOS Brasil Soberano. Em Salvador, o Simpósio será composto de duas mesas: “O papel das empresas estatais e privadas no país soberano”, que terá como palestrantes o historiador Valter Pomar, o geólogo e ex-diretor da Petrobras Guilherme Estrella, o jornalista Fernando Brito, do blog Tijolaço; e “Exploração e uso dos recursos naturais”, com a participação de Vicente Andreu, diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), de Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, do professor e engenheiro civil Asher Kiperstok e do professor Luis Fernandes, da PUC-RJ e do Instituto Rio Branco do Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Leia mais »

Novo Censo Agropecuário esconde agricultura familiar e contribui para violação de direitos no campo

A decisão do IBGE de suprimir vários campos do próximo Censo Agropecuário provocou críticas de entidades da área de segurança alimentar. Em carta ao instituto, a Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (RBPSSAN) adverte que a omissão de dados no formulário da pesquisa, relacionados especialmente ao uso de agrotóxicos, ao perfil da força de trabalho no campo e à agricultura familiar de modo geral, além de interromper a série histórica, prejudica a formulação de políticas públicas para o setor. Tornará invisível, por exemplo, a distinção do trabalho da mulher e do jovem no campo, e também de aspectos étnicos-raciais.

Leia mais »

Mais de 200 áreas de reserva mineral da Amazônia serão entregues ao setor privado sem licitação

Com o fim da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca), anunciado antecipadamente em portaria do Ministério das Minas e Energia do último dia 7 de abril, mais de 200 áreas para pesquisa e exploração de minério, principalmente ouro, serão colocadas “em disponibilidade” pelo governo federal e entregues a outros interessados, por ordem de chegada dos requerimentos. Para o geólogo Manoel Barreto, ex-presidente do CPRM, em uma região com potencial tão grande, as autorizações deveriam ser licitadas com base em obrigações de conteúdo nacional e outras formas de agregar valor às áreas. E somente após pesquisa do seu potencial efetivo.

Leia mais »