III Simpósio SOS Brasil Soberano ganha alcance nacional pelas redes sociais

O III Simpósio SOS Brasil Soberano, que discutiu os impactos de reformas estruturais no país – as regressivas e as progressistas –, em Belo Horizonte (MG), registrou um “alcance” de cerca de 200 mil pessoas e 64.869 “visualizações” de pessoas que acompanharam na íntegra ou parcialmente as transmissões do evento ao vivo, pelas redes sociais (Tijolaço, Mídia Ninja, SOS Brasil Soberano). Realizado no último dia 8 de junho, no auditório do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), o encontro integra o movimento SOS Brasil Soberano, série de simpósios que vem pecorrendo várias capitais para debater um projeto nacional que vença a crise e abra novas perspectivas de desenvolvimento econômico e social. As propostas consolidadas nos encontros se articulam diretamente com o Plano Popular de Emergência, elaborado pela Frente Brasil Popular, com dez medidas fundamentais para a reconstrução do país, a ser lançado no Rio nesta segunda-feira (12).

Clovis Nascimento, presidente da Fisenge – Foto: Alessandro Carvalho

“Estamos vivendo uma fase do Brasil sem precedente na história; as instituições estão derretendo”, alertou na abertura do evento o presidente da Federação Interestadual dos Sindicatos de Engenheiros (Fisenge), Clovis Nascimento, para quem “o que está em jogo é a luta de classes”, uma tentativa de retroceder o país à década de 30. “A população, a periferia, tem 14 milhões de desempregados pensando no que vai comer amanhã. Mas não se iludam: essa população vai para a rua, não vai aceitar as coisas de forma passiva. E as ruas sempre foram nossas – vamos ao bom combate”.

Olímpio dos Santos, presidente do Senge-RJ

Para o presidente do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ), Olímpio dos Santos, as propostas dos grupos que articularam o golpe dissolvem a ideia de nação. “Como um povo sem direitos pode ser uma nação?”, questionou. “Nossa tarefa é participar e ajudar na discussão da organização política e social das pessoas, para ter um programa e levá-lo adiante, sem ilusões de conciliação. A nossa oligarquia não tem o menor interesse no povo. Essa travessia não é tranquila nem fácil. Teremos que construí-la com muita vontade, muito empenho e muita dor também.”

O SOS Brasil Soberano é uma iniciativa do Senge-RJ, ao lado da Fisenge. Em Belo Horizonte, o III Simpósio contou com patrocínio do Senge-MG. O I Simpósio SOS Brasil Soberano foi realizado no Rio de Janeiro, no dia 31 de março; o II, em Salvador, no dia 27 de abril, com o Senge-BA e outros apoiadores. A quarta edição está marcada para Curitiba, no dia 14 de julho.

Você pode gostar...