Tag: Emprego

Darc Costa defende conversão da dívida pública em títulos para financiar investimentos

O Museu Nacional da UFRJ, cujo acervo ardeu em um incêndio neste domingo (2), tinha recebido até maio apenas R$ 54 mil, para uma necessidade anual de R$ 550 mil. Durante o Simpósio SOS Brasil Soberano – A engenharia e a soberania nacional, dia 23 de agosto, Darc Costa, engenheiro civil e estudioso das questões estratégicas do Brasil, defendeu a conversão da dívida pública em debêntures, cujos recursos seriam destinados a investimentos públicos em obras de infraestrutura.

Leia mais »

Em Maceió, engenheiros defendem um projeto nacional que mobilize os profissionais na luta pela soberania do país

A necessidade de despertar os engenheiros para intervirem na disputa pelos rumos do país dominou o VI Simpósio SOS Brasil Soberano, que discutiu a engenharia e a soberania nacional, no dia 23 de agosto, durante a 75ª SOEA, em Maceió (AL). Os participantes apontaram como prioridade a formulação de um “projeto de nação”, sob o risco de a engenharia se tornar um acessório de baixo valor agregado em um país sem C&T, sem inovação, destinado apenas à exportação de matéria prima.

Leia mais »

Simpósio SOS Brasil Soberano discutirá engenharia e soberania nacional em Maceió

No dia 23 de agosto, em Maceió (AL), acontecerá o Simpósio SOS Brasil Soberano com o tema “Engenharia e Soberania Nacional, durante a 75ª SOEA, com transmissão ao vivo pela internet. O simpósio terá a participação do sociólogo Clemente Ganz Lúcio, do engenheiro Darc Costa e do economista Luiz Antonio Elias, e a mediação da engenheira Giucélia Figueiredo. Na véspera, dia 22, haverá a exibição do filme “Dedo na ferida”, e debate com seu diretor, Silvio Tendler.

Leia mais »

Dados de emprego indicam tendência à consolidação de perfil precarizado e de menor renda

Os dados do IBGE sobre emprego, na média de março a maio de 2018, revelam que a crise continua e está cristalizando um quadro de pior remuneração e qualidade de vida para os trabalhadores. Na comparação com o mesmo trimestre de 2017 crescem as ocupações sem carteira de trabalho – nas quais, além da precarização dos direitos sociais, a média da remuneração é muito menor: 61% da recebida por empregados com carteira, ambos do setor privado. A análise é do economista Victor Hugo Klagsbrunn, com base na Pnad Contínua, divulgada no dia 28 de junho. Comparado com o primeiro trimestre de 2017, 1 milhão de pessoas a mais ficaram fora da força de trabalho, aumento impulsionado pelo crescimento donúmero de “desalentados”, os que deixaram de procurar emprego por falta de perspectiva ou por não ter condições de fazê-lo. O nível de afastamentos é superior à expansão do total daqueles que ingressaram na faixa em idade de trabalhar, de 1% em relação ao mesmo trimestre em 2017.

Leia mais »

Guilherme Estrella e Luiz Antonio Elias aplaudem decisão de Lewandowski contra privatizações

O geólogo Guilherme Estrella, que liderou na Petrobras a equipe responsável pela descoberta do pré-sal, e o Luiz Antonio Elias, ex-secretário executivo do MCT, comentam a liminar do ministro do STF Ricardo Lewandowski, que suspendeu, no dia 27 de junho, o leilão da Cia. Energética de Alagoas (Ceal), do sistema Eletrobras. O ministro entendeu que a privatização requer aval do Congresso. Para Estrella, a medida é importante mas insuficiente — seria preciso proibir o desmonte do patrimônio estratégico nacional. Elias destaca o fato de a decisão do STF permitir, pelo menos, o debate público sobre a privatização e outras medidas que estão destruindo a capacidade científica e tecnológica nacional.

Leia mais »

Saída de investimentos, projeções do PIB em queda: para economistas, medidas de Temer prolongam crise brasileira

No seu Relatório Trimestral, divulgado nesta quinta-feira (28 ), o Banco Central voltou a reduzir sua projeção de crescimento do PIB – de 2,6% para 1,6%. Durante o primeiro semestre, os investidores estrangeiros retiraram mais de R$ 10 bilhões da Bolsa de Valores brasileira, a maior retirada líquida em um primeiro semestre da história da bolsa, segundo o Valor Econômico. Para os economistas Luiz Carlos Prado e Eduardo Pinto, da UFRJ, o conjunto de medidas econômicas do governo Temer tem se caracterizado por uma mistura de irracionalidade, falta de planejamento e entreguismo, incapaz de conduzir o país a um cenário de crescimento, emprego ou bem-estar social. Seu objetivo central é, em síntese, garantir a transferência de recursos para os bancos.

Leia mais »