O voto final contra Lula foi um “viva Moro e prendam Lula!!”

Fernando Brito para o Tijolaço

O desembargador Vitor Laus, no voto que encerra a homologação dos atos de Deus, expressos pelo seu profeta Sérgio Moro, não poderia ter faltado aquilo com que se abriu: uma louvação escancarada à “qualidade” do juiz curitibano e ao caricato time de procuradores da Lava Jato.

E, como fez antes dele o revisor Leandro Paulsen, colocar no voto a autorização expressa para que Moro mande prender o ex-presidente Lula.

Isto é: não basta impedir Lula de ser candidato, mas impedi-lo sequer de apoiar alguém.

Quem pensava que o limite da conspiração era colocar um decrépito Michel Temer no poder por dois anos, enganou-se. É um projeto de poder, ao qual o Judiciário está metido até a medula.

Você pode gostar...