Autor: Verônica Couto

Dia 24, Soberania em Debate recebe Breno Altman para tratar da nova ordem mundial

O tema será abordado na 2ª edição do Soberania em Debate, que acontece na próxima quinta-feira, 24 de maio às 15h. O palestrante será o jornalista e diretor editorial do site Opera Mundi, Breno Altman, com apresentação da jornalista Camila Marins. O encontro é parte da agenda do movimento SOS Brasil Soberano, apoiado pelo Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro/Senge-RJ e pela Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros/Fisenge. O evento será transmitido pela página do SOS Brasil Soberano no Facebook, aberto a perguntas que cheguem pela rede.

Leia mais »

Morre Alberto Luiz Galvão Coimbra, fundador da Coppe e defensor incansável da pesquisa e do ensino

Morreu nesta quarta (16), o professor Alberto Luiz Galvão Coimbra, 94 anos, fundador do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia (Coppe/UFRJ), que leva o seu nome desde 1995, numa homenagem feita pela universidade. A Coppe foi a primeira pós-graduação em Engenharia do Brasil e é hoje o maior centro de ensino e pesquisa da América Latina na área. Galvão Coimbra defendeu ensino com horário integral e dedicação exclusiva, e investimentos em pesquisa, e foi perseguido pela ditadura.

Leia mais »

Juristas Carol Proner e Rubens Casara denunciam captura do Judiciário pelo poder econômico

Vivemos num Estado que desrespeita os limites constitucionais para a garantia dos direitos fundamentais, em que o Judiciário ocupa o papel de protagonista, aplicando a Justiça de forma seletiva, com base em uma lógica que favorece o poder econômico e reprime os “indesejáveis”, todos aqueles que se opõem ao projeto neoliberal. Esse, em síntese, é o quadro traçado pela professora de Direito da UFRJ Carol Proner e pelo juiz do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) Rubens Casara, durante o Soberania em Debate, promovido pelo movimento SOS Brasil Soberano, no último dia 10. Se a pós-verdade é aquilo que parece mas não é verdade, vivemos no que Casara chama de Estado pós-democrático. Rompidas as regras do jogo democrático, o mercado manda e pode tentar tudo, afirmam os juristas. Inclusive interditar a participação de candidatos populares nas eleições, ou até impedi-las, diz Carol.

Leia mais »

Pracinhas e ex-combatentes se encontram. Getúlio censurou ação soviética na Guerra, diz historiador

Representantes do “Regimento Imortal”, movimento de memória dos combates soviéticos na II Guerra Mundial, e pracinhas da FEB se encontraram na Câmara do Rio para comemorar a Vitória sobre o nazifascismo. A URSS foi o país que impôs maior número de baixas ao Eixo, mas a maioria da população brasileira não soube disso, devido à censura do Estado Novo, conta o historiador João Claudio Platenik Pitillo, que deve publicar sua pesquisa em livro no segundo semestre.

Leia mais »

Na próxima quinta (10), Soberania em Debate discute o sistema de justiça no Brasil

O movimento SOS Brasil Soberano, apoiado pelo Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ) e pela Federação Interestadual de Sindicatos de Engenharios (Fisenge), retoma sua agenda de encontros Soberania em Debate, uma proposta de mobilização, resistência e reflexão de temas nacionais.  A primeira edição de 2018 acontece no dia 10 de maio, às 15h, na sede do Senge-RJ, na avenida Rio Branco, nº 277, 17º andar, Cinelândia, e vai abordar o sistema brasileiro de justiça. Os debatedores serão os doutores Caroline Proner e Rubens Casara, com mediação da jornalista Camila Marins. Sem público presente, com duração aproximada de 1h30min, o debate será transmitido pela internet, na página do SOS Brasil Soberano no Facebook. E estará aberto a perguntas que cheguem pelo www.facebook.com/sosbrasilsoberano, além de reproduzido posteriormente em vídeo. (confira o perfil dos palestrantes)

Leia mais »

Começam os debates para o Congresso do Povo Brasileiro

Em agosto deste ano acontece o Congresso do Povo Brasileiro, iniciativa resultante da 2ª Conferência Nacional da Frente Brasil Popular, que busca reunir subsídios para elaborar um projeto amplo para o país. Entre maio e julho, serão realizadas reuniões e assembleias nas associações de trabalhadores do campo e da cidade, sindicatos, grupos de mulheres, quilombolas e jovens, que acumularão debates, estratégias e propostas que serão levadas ao evento. A construção do Congresso, um trabalho colaborativo e descentralizado, começou oficialmente em março, durante o Fórum Social Mundial, em Salvador. Durante o FSM18, a jornalista Camila Marins, da Federação Interestadual dos Sindicatos de Engenheiros, entrevistou representantes do movimento popular sobre as pautas e os objetivos do evento. Confira no vídeo as entrevistas no FSM 18 sobre o Congresso do Povo Brasileiro.

Leia mais »